Codil / Transcodiltranscodil-codil-alimentos.PNG

Parceria de sucesso no controle e gerenciamento de manutenção da frota

Eficiência e controle na gestão da manutenção de frota significam não apenas redução de custos e melhor aproveitamento dos recursos disponíveis, como também representam um diferencial da empresa no mercado. É o que pode ser comprovado no Estudo de Caso da Transcodil, braço da Codil Alimentos que faz a entrega dos produtos da empresa. Para atingir a liderança do mercado, a Codil Alimentos apostou nas entregas de acordo com o modelo just-in-time por meio da Transcodil, liberando seus compradores da necessidade de manter estoque. Confira a entrevista feita com o supervisor administrativo Fernando Antônio de Andrade:

1. Fale um pouco sobre a Codil Alimentos.

A Codil Alimentos é uma empresa do ramo alimentício, está focada no ramo de grãos (arroz e feijão). Com a necessidade do mercado surgiu também a Transcodil – do setor de transporte. A empresa está há mais de 40 anos no mercado e é hoje líder em seu segmento.

2. Como é o posicionamento da Codil Alimentos atualmente no mercado?

Um dos diferenciais da Codil, além da qualidade do produto é a rapidez na entrega. A Codil atende ao mercado de Minas Gerais. Estamos localizados em Divinópolis (região Centro-oeste de Minas). Temos uma excelência de entrega dentro do prazo de um dia. Por exemplo: o vendedor da Codil faz uma venda hoje na cidade de Montes Claros que está a uma distancia de cerca de 600 km da nossa fábrica em Divinópolis. Amanhã o produto é entregue em Montes Claros. As empresas que trabalham com a Codil não precisam ter um estoque dentro dos armazéns e supermercados, porque isto onera o custo. Trabalhamos de acordo com o modelo just-in-time na entrega de nossos produtos.

3. A Codil utiliza o Engeman® base frota. Quais são as características da frota da Codil?

Atualmente temos cadastrado no Engeman® carretas, Btrens, caminhões Truk e Toco. Controlamos com o Engeman® 61 cavalos mecânicos, 46 carretas LS, duas básculas, 21 Btrens, 21 caminhões Truk Baú, quatro caminhões Toco Baú, um caminhão ¾ Baú, um caminhão Truk Basculante, um caminhão Truk Rolon que é um caminhão especial pois a traseira dele desce toda no chão, como se desmanchasse para desmontar a carga e ela monta toda de novo automatizada, dois caminhões Truk Casqueiro que são próprios para carregar a casca do arroz e tem cada um o tamanho de uma carreta com um comprimento de 12 metros, e um caminhão Truk com o segundo eixo direcional. Todos controlados pelo Engeman®. Além destes veículos temos também cadastradas três empilhadeiras e dois compressores para manutenção do ar da própria mecânica.

4. Quais são as principais características do Engeman® que vocês mais utilizam?

De um modo geral os relatórios, porque são completos e ao mesmo tempo objetivos na questão da manutenção preventiva e corretiva. O Engeman® na Codil não tem uma característica específica definida pois rodamos todos os processo dentro dele pra termos um relatório com uma posição de manutenção. Não é algo específico é o conjunto de informações que utilizamos.

5. Como o Engeman® ajuda no controle da manutenção de veículos?

Utilizamos o Engeman® como um todo no processo. Cada módulo executado nele tem o seu grau de importância para que o resultado final seja um custo baixo de manutenção e entrega rápida do nosso produto. O nosso foco é entregar o produto mais rápido então o Engeman® ajuda a controlar as preventivas para não deixar o caminhão quebrar na estrada. Fatalmente se o caminhão roda mais ele tem um custo menor. Tudo isto o Engeman® controla para nós.

6. O Engeman® então ajuda na redução de custos da frota?

Com certeza. Ajuda inclusive também na garantia de peças. Possuímos um relatório que por meio dele quando eu recebo a lista de manutenção de peças, então eu consulto no Engeman® se aquela peça está dentro da garantia ou não. Isso reduz também este custo pois não trocamos uma peça desnecessariamente.

7. Como é feito o controle de pneus da frota da Codil no Engeman®?

O Engeman® tem o formato exigido pelos grandes fabricantes como a Michelin tratando o pneu como uma aplicação que contém vários pontos de rastreabilidade e acompanha um ponto de controle somente. O pneu tem o número do pneu, que é o número de fogo, o Dot e o Lote que são impressos no pneu pelo fabricante e possui um ponto de controle que é criado dentro do Engeman® pra gente saber quantos km aquele pneu rodou. A rotina do Engeman® de entrada e saída de pneus, inclusive para recapagem, segue o formato que a Michelin exige pois a Codil trabalha com este fabricante dentro da empresa. Ou seja, nós realizamos testes de pneus para a Michelin e consequentemente temos que dar um número de pneus correto de acordo com os padrões deles. E o Engeman® já está adequado para isto.

8. A Codil utiliza o Engeman® para o controle de combustível também?

Sim. Atualmente a média de consumo dos veículos, o custo de combustível e km rodado são controlados pelo Engeman®. A Codil possui o CTF (Controle Total de Frotas) na qual o veículo ao ser abastecido no posto gera uma informação via internet para nós e nós importamos isso para o Engeman®. E o Engeman® faz toda a tratativa.

9. Qual a média de manutenções preventivas e corretivas utilizadas pela Codil antes e depois do Engeman?

Podemos dizer assim: hoje a gente organizou e planejou a manutenção. Antes do Engeman® não havia organização nem planejamento. Nós trabalhávamos em função do serviço que era gerado no dia: quebrou-arrumou, quebrou-arrumou. Hoje conseguimos efetuar a manutenção evitando a quebra.

10. Que referências você tem sobre o Engeman® para a manutenção de frota?

Temos um bom entendimento sobre o Engeman®. Inclusive tem um cliente de vocês (a Transbrasília) que foi indicação nossa, eles vieram aqui e viram como o sistema funciona e compraram o Engeman®. Outro diferencial é o Suporte. Logicamente para chegar ao ponto em que estamos com o Engeman® leva tempo. O Engeman é muito flexível, mas por mais flexível que seja ele não vai chegar numa empresa e rodar 100% sozinho. Então o Suporte da Engecompany ajudou muito a Codil, tanto para fazer as modificações necessárias, quanto na implantação, todo este cronograma toda esta base que é feita para chegar onde estamos hoje colhendo os frutos.

Fernando Antônio de Andrade, supervisor administrativo da Codil há sete anos.